quarta-feira, 25 de maio de 2016

Endividamento e falta de crédito: O que fazer?

O ano de 2016 começou com um aumento das famílias endividadas e inadimplentes no país. Segundo dados da Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada hoje (28) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o percentual de famílias com dívidas cresceu de 61,1%, em dezembro de 2015, para 61,6%, em janeiro deste ano. Em janeiro de 2015, o percentual era 57,5%.

Já o percentual de famílias inadimplentes, ou seja, que têm dívidas ou contas em atraso, chegou a 23,7% em janeiro deste ano, taxa superior aos 23,3% do mês anterior e aos 17,8% de janeiro de 2015.

O percentual de famílias que não terão condições de pagar suas contas também subiu: 9%, ante os 8,7% de dezembro e os 6,4% de janeiro de 2015.

A maior parte das dívidas das famílias brasileiras (78,6%) é com cartões de crédito. Em seguida, aparecem dívidas com carnês (16,8%), financiamento de carro (12,5%), crédito pessoal (9,8%) e financiamento de casa (8,1%).

DOWNLOAD MANUAL DIGITAL DO SUPERENDIVIDADO - CLIQUE AQUI!



Alexandre Daniel dos Santos, presidente em exercício do IPEC salienta que“Os dados preocupantes que tivemos acesso nos levaram a editar o Manual Digital do Superendividado, que está disponível para download a toda a população e traz todas as dicas e boas práticas que o consumidor superendividado deve ter para driblar esta situação”.

Um dos pontos que mais chamam a atenção neste Manual é quanto a margem consignável extrapolada dos servidores públicos, aposentados e pensionistas que, se constatado que possuem empréstimos consignados que tomam mais de 30% das suas remunerações, além de ilegal tal situação anormal configura o superendividamento e deve ser combatida.

É proibido por lei que as instituições bancárias e financeiras concedam empréstimos consignados para quem já tem tomado toda a sua margem limitada a 30%. Por sorte, há medidas que podem ser tomadas para reduzir o excesso do comprometimento da remuneração. Segundo o presidente Alexandre Daniel: “Muitos dos nossos filiados já obtiveram sucesso deste pedido judicial de limitação da margem consignável. Afinal, é uma afronta até mesmo ao preceito constitucional da dignidade”.

De outro lado, temos o trabalhador comum assalariado que a duras penas consegue se sustentar com o salário que ganha, e que devem ter muita atenção antes de contrair qualquer dívida que comprometa sua renda.

Neste caso, são diversas condutas que podem ser aplicadas para combater a situação perigosa de endividamento, e todas são abarcadas também no Manual Digital do Superendividado.

Quer saber mais? Faça o download AQUI!


***O Manual Digital do Superendividado está de acordo com as políticas “verdes” e de sustentabilidade, em razão disso não é impresso. Será distribuído somente no meio digital e pode ser lido em qualquer smartphone, tablet ou computador.


INFORMAÇÕES E SERVIÇOS



O IPEC oferece atendimento gratuito para os consumidores, fornecedores e prestadores de serviço em seu Posto de Atendimento, na Rua Treze de Maio, n.º 1404, sala 07, bloco A, Centro, em Campo Grande (MS). 

Agende também seu atendimento com o presidente do instituto, Alexandre Daniel dos Santos, pelos telefones: (67) 3029-5439 e (67) 9157-4181.








FILIE-SE PELA DEFESA DE SEUS DIREITOS!

Nenhum comentário:

Postar um comentário